search Created with Sketch.

Gerenciamento de crise: a sua importância nos dias atuais

Gerenciamento de crise e a sua importância nos dias atuais

Em tempos de recessão é essencial que haja um cuidado redobrado com as crises empresariais que já surgiram e as que possivelmente estão por vir. No entanto, é o muito comum observar empresários, gerentes e gestores que não dão a devida importância para a área de gerenciamento de crise, seguindo a tendência de aguardar um evento superveniente para agir – o que pode ser uma postura muito prejudicial para a empresa.

Ou seja, o gerenciamento de crise não é algo que deve ser desenvolvido no momento em que a crise bate à porta e sim deve ser uma área negocial, dentro das estratégias de reputação digital, que exige planejamento e criação de expectativas para não somente resolver qualquer problema antes que comece, mas também para prevenir que as crises cheguem a estourar dentro das companhias. Ao ter em mente o caráter preventivo do gerenciamento, as empresas passam a estar mais bem preparadas para as variações que a economia possa proporcionar.

É necessária a preparação prévia, pois, independentemente de uma crise ser ocasionada por fatores internos ou externos a uma companhia, o momento de surgimento desses intemperes econômicos é sempre muito inesperado. Para garantir uma preparação sempre adequada é preciso manter uma equipe que possa prever e trabalhar com resultados precisos e alinhados, encaminhando as decisões empresariais para longe das crises tal como se direciona um navio para evitar que colida com um iceberg.

Pensando na importância do tema, sobretudo no momento atual, no qual convivemos com um exemplo de crise econômica mundial inesperada devido ao Corona Vírus, reunimos um conglomerado de informações de suma importância para a criação de uma gestão de crise que seja capaz de manter uma empresa em pé, apesar dos empecilhos que possam vir a acometê-la.

Do que se trata o chamado Gerenciamento de Crise, exatamente?

O gerenciamento de crise nada mais é, de forma geral, que um conglomerado de práticas empresariais que servem para realizar a identificação de potenciais geradores de riscos para a empresa e lidar com cada um deles, independentemente de onde estes riscos possam vir. Também é função da área de gerenciamento de crise lidar com problemáticas que já tenham acometido a companhia, tendo assim a responsabilidade de controlar os resultados da crise além de mitigar os eventuais prejuízos. Trata-se de um setor empresarial de suma importância em toda companhia de porte.

Em um gerenciamento feito de forma adequada há uma apuração bem detalhada das possíveis problemáticas que a empresa vá encarar, para então ser realizada a criação de um plano de contingência para deter ou remanejar quaisquer problemas – sendo importante o comando de crises que possam vir tanto internamente quanto externamente.

Também é papel do gerenciamento de crise saber e avaliar o histórico empresarial de forma a evitar que erros que já ocorreram se repitam. Este setor empresarial guarda registros das soluções aplicadas às crises anteriores, guardando para o futuro as respostas de problemáticas que possam vir a se repetir. É como se essa parte da empresa passasse por um processo de aprendizagem.

Por que a gestão de crise é tão importante para as empresas?

Para representar a importância de uma gestão de crise eficiente, é possível pegar o exemplo da empresa multinacional BRF, que com certeza se encaixa como entre as maiores companhias de alimentos do mundo. O caso da BRF foi um caso clássico de falta de gerenciamento de crise, uma vez que a empresa perdeu, em função de escândalos e perdas na reputação empresarial, um total que hoje se calcula em mais de quatro bilhões de reais. Essas crises ocorrem diariamente e podem ser evitadas com o funcionamento adequado da equipe de gestão de crise.

É importante não somente ter essas equipes em sua companhia como dá-las certa autonomia e poder para mudar os rumos da companhia sempre que necessário. Para que seja possível, por exemplo, refrear problemas relacionados à reputação empresarial, é necessário mais que apenas uma equipe de marketing à disposição do gerenciamento de crise – é preciso que a empresa esteja disposta a realizar mudanças para se adequar aos problemas sem receber maiores danos no mercado, permitindo que a empresa tenha tempo e capacidade para se recuperar.

Gerenciamento de crise e a sua importância nos dias atuais - Hawkz

Há muitos benefícios em fazer do gerenciamento de crises um setor de grande importância na empresa, e alguns deles são: (i) o controle e a mitigação do impacto das ações internas e externas da companhia e da economia que a engloba; (ii) a prevenção e o acionamento de atitudes empresariais eficazes e rápidas diante de problemas iminentes; (iii) a preservação da reputação empresarial da companhia diante do mercado; (iv) a garantia de não repetição de crises antigas; (v) a manutenção de boas relações não somente com a sociedade e demais stakeholders mas também com o mercado em geral, garantindo uma boa imagem para a companhia; (vi) a realização de um impacto nos demais setores empresariais que passam a se alinhar para direcionar a empresa nos caminhos adequados e por fim (vii) a elevação das chances de sobrevivência de uma empresa diante de uma crise que chacoalhe os demais players do mercado.

Quais são os potenciais riscos a serem observados pela equipe de gerenciamento de crise?

O primeiro e também um dos principais trabalhos da equipe de gerenciamento de crise é conseguir identificar quais são as potenciais fontes de crise, de onde os problemas podem vir e quais medidas tomar a respeito. A equipe deve considerar desde a economia na qual a empresa está inserida, como um todo, até os menores problemas internos que podem gerar grandes crises para qualquer companhia.

É possível identificar alguns pontos que são mais frequentemente observados por equipes de gerenciamento de crise como sendo os principais geradores de potenciais crises.

Um dos primeiros pontos a ser observado é a ocorrência de eventos naturais que não são passíveis de serem controlados pelo homem, tal como a ocorrência do Corona Vírus – a exemplo disso temos muitas empresas que monitoraram a situação da contaminação do vírus desde o seu começo e já passaram a tomar ações internas, tais como potencializar as vendas online, para controlar os prejuízos quando o vírus passou a se instalar.

Outro ponto muito observado pelas equipes de gerenciamento de crise é a qualidade dos produtos produzidos e comercializados, uma vez que o controle de qualidade influi diretamente na reputação empresarial e garante que a empresa continue tendo boas posições diante do mercado e sucesso negocial.

Também é muito importante que panes de origem tecnológica sejam monitoradas para evitar crises de grande relevância para a empresa. Uma companhia de sorvetes, por exemplo, que tem problemas com a energia elétrica em seus setores de produção deve ter um gerenciamento de crise que foque em não permitir que esse problema em potencial venha se tornar uma crise com altos prejuízos para a produção da companhia.

É claro, também é importante acompanhar a economia que envolve a empresa, até mesmo para saber qual o momento adequado para investir ou retrair os negócios. É importante estar de olho em como andam os investimentos no país, se as empresas andam bem, se companhias de outro segmento têm ou não crescido.

Por fim, também é importante acompanhar de perto a trajetória dos funcionários da empresa. A lealdade e o bem-estar dos funcionários é essencial para o sucesso negocial, uma vez que são eles que fazem de dentro para fora a reputação da companhia no mercado externo. É importante manter os funcionários satisfeitos e bem supervisionados.

Todos esses pontos e muitos outros mais são essenciais de serem avaliados por uma equipe bem capacitada para identificar e evitar eventuais crises que possam vir. Essas equipes devem observar a probabilidade de formação dos problemas, assim como identificar possíveis soluções e implementá-las a tempo.

É claro que nem todas as possíveis fontes de problema de fato se tornarão uma crise de grande calibre, portanto é necessária uma avaliação minuciosa do potencial de impacto que cada problemática pode ter na companhia. É papel da equipe de gerenciamento de crise identificar as questões que merecem mais atenção.

De que forma se realiza um gerenciamento de crise eficiente?

Pensando na importância do tema, separamos alguns aspectos que podem ajudar a gerir as crises na sua companhia e consequentemente mitigar alguns riscos que podem pairar sobre a sua empresa.

  • A primeira dica é realizar o monitoramento completo das ações significativas da empresa, para conseguir prever internamente as possibilidades de crise que estejam para chegar. Não é adequado ou mesmo aconselhável esperar que a crise bata em sua porta para lidar com ela – é imprescindível conseguir prevê-las e tomar ações prévias para controlá-las, evitá-las ou mitigá-las. O planejamento pode ser um tanto demorado, de forma que quanto antes se descubra uma crise em potencial, maior a probabilidade de conseguir aplacá-la;
  • Outra dica interessante é tentar não permitir que uma problemática já iniciada tenha prejuízos na relação de sua companhia para com os stakeholders ou com seu público-alvo. É preciso que nos momentos de crise os negócios empresariais continuem funcionando normalmente e para isso é preciso que seja bolado um plano de contingência que consiga manter a crise das portas da empresa para dentro;
  • Nos momentos de crise é importante que a empresa não vaze informações desnecessárias ou essenciais, de forma que é de suma importância denominar dentro da companhia quem serão as pessoas que ficarão com o encargo de falar sobre a crise para o público e abrir quais ações serão tomadas. Estas pessoas devem soltar as informações cuidadosamente pensadas para o público de forma a não prejudicar a companhia ou mesmo não agravar a crise que esta já enfrenta;
  • Também é essencial evitar a distorção de dados, é importante que haja transparência, rapidez e exatidão na passagem de informações para que os dados sejam friamente avaliados pelo mercado, sem que haja especulações que possam de alguma forma prejudicar a companhia. A transparência é um dos aspectos mais prezados pela sociedade.
Gerenciamento de crise e a sua importância nos dias atuais 2

É muito importante também que a empresa não descuide de sua imagem, mesmo nos momentos mais problemáticos de sua gerência, é essencial que ações sejam tomadas com rapidez para aplacar ao máximo os desdobramentos de crises na reputação empresarial.

Outro ponto essencial é que a equipe de gerenciamento de crise tenha potencial de identificar todas as possibilidades de recuperação da companhia diante de um cenário de crise – uma vez que a companhia consiga aproveitar uma oportunidade do mercado para prevalecer a uma crise, ela consegue sobressair muitas vezes até mais forte que entrou, portanto é necessário que a equipe esteja de olhos abertos para possibilidades de guinada, investimentos e mudanças nos players do mercado para apanhar as oportunidades de recuperação que surgirem.

Também é muito importante não relaxar ao fim de cada crise pois este é o momento que a companhia deve apreender informações. A empresa deve lidar com os desgastes que possa ter vindo a sofrer, além de reunir todas as informações adquiridas durante o período de crise para evitar que outras no mesmo formato venham ocorrer.

Também é importante colocar as finanças em ordem e analisar a crise com lupa – ou seja, identificar quaisquer pontos positivos que possam ter surgido, bem como observar os motivos que levaram a crise a ocorrer. Este também é o momento de realizar ações que ajudem a resgatar a reputação empresarial.

As crises costumam “queimar” as empresas diante dos clientes – portanto, no final de cada crise é essencial que a equipe de gerenciamento de crises tenha um plano para recuperar a confiança da clientela.

Reconquistando os clientes e colocando a empresa de volta nos trilhos, é o momento de se preparar outra vez para possíveis futuras problemáticas.

Não importa o tamanho da companhia, o gerenciamento de crise é fundamental para todas elas pois quando há um plano predefinido e também quando as crises são identificadas com antecedência, o empresário consegue se organizar para fazer com que a empresa suporte os eventuais danos ou até mesmo consiga desviar de uma determinada crise.

Um bom planejamento pode com certeza impedir que uma empresa venha a falir diante de uma crise intensa – o exemplo disso são os restaurantes que durante a pandemia tiveram que fechar e, por falta de planejamento, não adaptaram a produção para ser entregue em domicílio.

Neste artigo te contamos sobre o gerenciamento de crise e como ele é essencial para qualquer empresa atualmente. Se você acha que chegou o momento de cuidar da imagem da sua empresa, entre em contato com a Hawkz para falar com especialistas no assunto!